Índia começa a exportar vacina, mas não menciona o Brasil

A vacinação no país asiático começou no último sábado. (Foto: Reprodução/Twitter)

A Índia vai dar início à exportação de vacinas contra Covid-19 para seis países, mas, por enquanto, apenas vizinhos. O Brasil não é mencionado. Conforme uma nota divulgada pelo governo local, a informação é de que serão vendidas doses para os seguintes compradores: Butão; Ilhas Maldivas; Bangladesh; Nepal; Mianmar; Ilhas Seychelles.

O Ministério da Saúde ainda prevê a compra para o futuro próximo, após a frustração da última semana. Um avião sairia de Campinas na quinta-feira, depois na sexta-feira, para um voo de 15 horas, mas o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, afirmou que era “muito cedo” para atender à demanda de vacinas a serem exportadas pelo país, já que a campanha nacional de imunização estava apenas começando. A vacinação no país asiático começou no último sábado (16).

Após o atraso na entrega das doses da vacina, Bolsonaro se reuniu na segunda-feira (18) com o embaixador indiano no Brasil, Suresh K. Reddy, para uma reunião no Palácio do Planalto. Mesmo com a reunião, ao ser questionado sobre eventuais datas e prazos de chegada da vacina, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que não havia uma resposta positiva da saída do avião. Ele ainda disse, em coletiva de imprensa, que o governo brasileiro faz reuniões diplomáticas com a Índia todos os dias, mas que o fuso horário é “complicado”.

“Todos os dias, temos tido reuniões diplomáticas com a Índia, todo dia. O fuso horário é muito complicado. Estamos recebendo a sinalização de que isso deverá ser resolvido nos próximos dias desta semana. Não tenho a resposta positiva de saída até agora”, afirmou o ministro.

Comentários