Indústrias do vestuário fazem mutirão e doam máscaras e aventais hospitalares

O avanço do coronavírus e a possível falta de Equipamentos de Proteção Individual no Estado mobilizaram o setor têxtil gaúcho. O SIVERGS (Sindicato das Indústrias do Vestuário do Rio Grande do Sul), através de seus associados, organizou um mutirão, chamado “Rede do Bem”, para confecção de máscaras e aventais hospitalares.

A primeira remessa, doada para dois hospitais, um em Porto Alegre e outro em Alvorada, na Região Metropolitana da Capital, contou com 130 mil máscaras e 11 mil aventais. Já estão em produção 2,2 milhões de máscaras e 16 mil aventais, que deverão ser doados nos próximos dias.

“Contatamos nossa rede de associados e empresas produtoras de matéria-prima, e encontramos uma grande disposição de todos para participar deste esforço conjunto”, diz Silvio Colombo, presidente do SIVERGS.

As máscaras e aventais de padrão hospitalar são produzidas com TNT e seguem as normas técnicas específicas. “Participamos da estruturação de toda a operação, seguindo as recomendações da Anvisa quanto à qualidade dos produtos e a segurança dos colaboradores envolvidos na produção”, afirma Colombo.

Além de suprir a demanda por equipamentos de proteção, a iniciativa preservou mais de 600 empregos no setor, reduzindo o impacto da pandemia na economia gaúcha.

O mutirão começou no dia 23 de março, depois de uma reunião com dirigentes do SIVERGS, FITESA (indústria especializada em materiais para o mercado higiênico, médico e industrial), Instituto Lojas Renner e apoiadores do projeto. “É um momento em que todos precisam contribuir como podem. Esta é a nossa contribuição”, conclui Silvio.

Comentários