Inflação oficial do País perde força em agosto, mas é a maior para o mês desde 2007

A inflação oficial do País, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), desacelerou para 0,44% em agosto. Em julho, a taxa foi de 0,52%, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (09) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar da queda, o índice é o maior para o mês de agosto desde 2007. No ano, o IPCA acumula alta de 5,42%, abaixo dos 7,06% registrados em igual período de 2015. Em 12 meses, a alta é de 8,97%. Em agosto de 2015, o IPCA foi de 0,22%.

Em agosto de 2016, o que mais contribuiu para que a inflação perdesse força foi o aumento menor dos preços de alimentos e bebidas, que recuou de 1,32% para 0,30%. O feijão carioca, que tem sido o vilão da inflação no País neste ano, ficou 5,6% mais barato. Já a batata-inglesa recuou 8%.

Além de alimentação e bebidas (de 1,32% para 0,30%), outros três grupos, dos nove pesquisados, mostraram desaceleração: artigos de residência (de 0,53% para 0,36%), transportes (de 0,40% para 0,27%) e comunicação (de 0,02% para -0,02%).

Entre os grupos com aceleração de preços, educação (0,99%) e despesas pessoais (0,96%) foram os mais elevados. A inflação alta tem sido uma das principais dores de cabeça para o BC (Banco Central) nos últimos anos.

Comentários