Inflação para o consumidor recua em Porto Alegre na segunda semana de dezembro

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) recuou em quatro das sete capitais pesquisadas na segunda semana de dezembro, entre elas Porto Alegre, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (19) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Na Capital gaúcha, a inflação para o consumidor registrou variação de 0,36% no período. O resultado foi 0,28 ponto percentual inferior ao verificado na primeira semana deste mês. Nesta apuração, seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos alimentação e comunicação, cujas taxas passaram de 0,51% para -0,04% e de -0,41% para -0,81%, respectivamente.

O IPC-S também desacelerou em Salvador (0,25% para 0,13%), Recife (0,20% para 0,13%) e São Paulo (0,46% para 0,43%). Em duas cidades, as taxas de variação foram as mesmas registradas na primeira semana de dezembro: Brasília (0,47%) e Belo Horizonte (0,15%).

A única capital pesquisada pela FGV em que a inflação para o consumidor acelerou no período foi o Rio de Janeiro, onde o IPC-S passou de 0,28% para 0,42%. No geral, o índice registrou variação de 0,34% na segunda semana de dezembro, 0,05 ponto percentual abaixo da taxa divulgada na última apuração.

Inflação do aluguel

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), usado para reajustar a maioria dos contratos de aluguel, registrou variação de 0,88% na segunda prévia de dezembro. No mês anterior, para o mesmo período de coleta, a variação foi de 0,37%. Os dados foram divulgados na segunda-feira (18) pela FGV.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) apresentou variação de 1,20% no segundo decêndio de dezembro. No mesmo período do mês anterior, a taxa foi de 0,43%. A taxa de variação dos bens finais passou de 0,51% para 0,49%. A maior contribuição para esse movimento teve origem no subgrupo combustíveis para o consumo, cuja taxa passou de 7,68% para 3,30%.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) registrou variação de 0,31% no segundo decêndio de dezembro, ante 0,23% no mesmo período do mês anterior. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo educação, leitura e recreação (-0,20% para 0,78%). Nessa classe de despesa, cabe mencionar o item passagem aérea, cuja taxa passou de -10,06% para 16,7%.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) apresentou, no segundo decêndio de dezembro, variação de 0,27%. No mês anterior, esse índice variou 0,28%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,52%, abaixo do resultado de novembro, de 0,62%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,06%. No mês anterior, esse índice não variou.

 

Comentários