Investimento estrangeiro direto no Brasil cai 48% no primeiro semestre

Entre os maiores destinos desse tipo de recurso, o Brasil teve a terceira maior queda mundial. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

O IED (investimento estrangeiro direto) global despencou no primeiro semestre deste ano, segundo dados divulgados pela ONU (Organização das Nações Unidas) nesta terça-feira (27). No Brasil, houve uma queda de 48% (US$ 18 bilhões) em relação ao mesmo período de 2019.

De acordo com a ONU, a queda ocorreu conforme o programa de privatizações do País foi paralisado, mas o fluxo de recursos “deve se recuperar moderadamente no segundo semestre, conforme as vendas de ativos são retomadas e um novo plano de infraestrutura seja apresentado”.

Entre os maiores destinos desse tipo de recurso, o Brasil teve a terceira maior queda mundial. Ficou atrás apenas dos recuos registrados na Itália (-74%) e nos Estados Unidos (-61%).

Em todo o mundo, o investimento estrangeiro direto caiu 49% no primeiro semestre de 2020, para US$ 399 bilhões, e caminha para uma queda de até 40% no ano diante dos temores de uma profunda recessão.

“Os fluxos globais de investimento estrangeiro direto no primeiro semestre deste ano caíram quase para a metade. Foi mais drástico do que esperávamos para o ano todo”, disse James Zhan, diretor da divisão de investimento e empreendimentos da Unctad (Conferência das Nações Unidas Sobre Comércio e Desenvolvimento) .

Comentários