Japão estuda variante de coronavírus procedente do Brasil

A variante foi descoberta em dois adultos e duas crianças que chegaram ao Japão em 2 de janeiro, procedentes do Brasil, informaram as autoridades sanitárias japonesas. (Foto: Reprodução)

O Japão está tentando isolar uma nova variante do coronavírus, recentemente detectada em quatro pessoas procedentes do Brasil, para analisá-la melhor – disseram as autoridades locais nesta terça-feira (12). “Para analisar melhor a variante, primeiro temos de isolá-la”, explicou um responsável do Ministério japonês da Saúde.

“Isso pode levar de várias semanas a vários meses” e, “portanto, é difícil dizer agora quando poderemos dar detalhes”, acrescentou a fonte. O Japão anunciou no domingo que havia detectado uma nova variante do coronavírus, sem ser capaz de determinar imediatamente se era mais contagiosa, ou perigosa, do que as cepas já conhecidas.

A variante foi descoberta em dois adultos e duas crianças que chegaram ao Japão em 2 de janeiro, procedentes do Brasil, informaram as autoridades sanitárias japonesas. Uma das pessoas, um homem na casa dos 40 anos, foi hospitalizado, devido a dificuldades respiratórias.

A mulher e uma das crianças, um menino, apresentaram sintomas moderados, disseram as autoridades. A quarta pessoa, uma menina, é assintomática. No último fim de semana, o Japão notificou a OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre essa nova variante.

“Quanto mais a Covid-19 se espalha, mais possibilidades há de que continue evoluindo. A transmissibilidade de algumas variantes do vírus parece estar aumentando”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na segunda-feira.

As mutações de um vírus não são, necessariamente, mais contagiosas, ou perigosas. No entanto, as descobertas em dezembro de uma variante altamente contagiosa da Covid-19 no Reino Unido e, depois, na África do Sul causaram grande preocupação em todo mundo, levantando dúvidas sobre a eficácia das vacinas contra uma possível forma ultrarresistente do coronavírus.

O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas (NIID, na sigla em inglês) informou que a variante descoberta no Japão apresenta semelhanças com as do Reino Unido e da África do Sul.

Comentários