Juros do cartão de crédito ultrapassam 450% ao ano e são os maiores desde 1995

As taxas de juros subiram de julho para agosto e encareceram ainda mais o crédito para consumidores e empresas, segundo pesquisa da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) divulgada nesta segunda-feira (12).

No caso das linhas para pessoas físicas, aumentaram as taxas cobradas em cinco das seis linhas de crédito pesquisadas, com destaque para o cartão de crédito rotativo, cujos juros passaram de 447,44% ao ano em julho para 451,44% ao ano em agosto, o maior patamar desde outubro de 1995.

O segundo juro mais alto é o do cheque especial, cuja taxa subiu de 293,79% para 296,33% ao ano, a maior desde março de 1999.

Considerando todas as modalidades, a taxa de juros média geral para pessoa física cresceu de 8,09% ao mês (154,35% ao ano) em julho para 8,13% ao mês (155,48% ao ano) em agosto. Essa é a maior taxa desde agosto de 2003, de acordo com a pesquisa.

Os juros médios cobrados de empresas tmbém registraram alta em agosto, passando para 4,75% ao mês (74,52% ao ano). Para os próximos meses, a Anefac afirma acreditar que, “tendo em vista o cenário econômico atual, que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência, a tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas”.

Comentários