Justiça do Trabalho libera R$ 70 milhões para ex-funcionários da Vasp

A Justiça do Trabalho vai distribuir R$ 70 milhões para cerca de 1.900 ex-funcionários da companhia aérea Vasp, falida em 2008 e considerada a maior devedora trabalhista do País. O pagamento será liberado durante a 6ª Semana Nacional de Execução Trabalhista, promovida pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho a partir desta segunda-feira (19).

De acordo com o TST (Tribunal Superior do Trabalho), os funcionários foram dispensados sem receber as verbas rescisórias e ainda contavam com anos de atraso no recolhimento do FGTS. Para pagar os trabalhadores, em 2016, o empresário Wagner Canhedo, ex-controlador da Vasp, e seus filhos tiveram imóveis e outros bens penhorados pela Justiça do Trabalho.

Segundo o TST, foram apurados R$ 320 milhões em bens. “Cabe aos TRTs [Tribunais Regionais do Trabalho] intimar os trabalhadores para retirar os alvarás de pagamento.” A Vasp entrou em processo de recuperação judicial em 2005 e, em setembro de 2008, teve a sua falência decretada. Na época, estimativas apontavam que a dívida da companhia oscilava entre R$ 3,5 bilhões e R$ 5 bilhões.

Em 2012, o ex-presidente da Vasp Wagner Canhedo foi condenado pela Justiça federal de São Paulo a oito anos, oito meses e 17 dias de prisão por crime de apropriação indébita de contribuição previdenciária, mas obteve o direito de recorrer em liberdade. Em 2013, Canhedo também foi condenado pela Justiça de Santa Catarina por fraude fiscal, mas foi solto após o pagamento da dívida com o Estado.

Comentários