Mais de 500 mil brasileiros estão aptos a votar no exterior

Mais de 500 mil brasileiros espalhados pelo mundo estão aptos a votar neste domingo (7). O número é recorde e representa um salto de 41% em relação à eleição de 2014, resultado de uma campanha feita pelo Ministério das Relações Exteriores. Foram enviadas 744 urnas para 171 localidades, em 99 países – incluindo uma região de difícil acesso no Líbano.

Quem mora fora do País, no entanto, só poderá votar para presidente. O maior contingente de brasileiros expatriados e imigrantes votará nos Estados Unidos: 160 mil. As cidades com o maior número de eleitores também ficam nos Estados Unidos: Boston e Miami, seguidas por Tóquio, no Japão.

O aumento no número de brasileiros aptos a votar foi registrado em praticamente todos os países. Na Europa, serão mais de 170 mil pessoas, com destaque para os 39 mil eleitores inscritos em Portugal, 25 mil no Reino Unido, 19 mil na Suíça e 11 mil na França.

No Consulado de Paris, o total de aptos a votar cresceu em quase 3 mil pessoas, em relação ao pleito de 2014. Eles votarão na capital francesa, única cidade em que o pleito será organizado, e serão divididos em 16 seções eleitorais, cada uma com uma urna e aproximadamente 800 eleitores inscritos.

Embora tenha crescido, o número de eleitores é uma fração da comunidade na França, onde vivem cerca de 70 mil brasileiros, de acordo com cálculos do Consulado do Brasil em Paris. Outro problema do pleito deve ser a abstenção elevada. Em 2014, cerca 50% acabaram se abstendo.

Em Genebra, o consulado brasileiro registrou 8 mil eleitores, 2 mil a mais que em 2014. Todas as urnas serão eletrônicas e, para cada uma delas, haverá um urna tradicional, com cédulas de papel, para evitar imprevistos. Nas seções eleitorais da capital suíça, a novidade vai estar entre os mesários: os próprios embaixadores se apresentaram para ocupar os postos, uma iniciativa que começou com o embaixador do Brasil na OMC (Organização Mundial do Comércio), Evandro Didonet.

Mulheres são maioria no eleitorado fora do País

As mulheres são maioria entre os brasileiros aptos a votar no exterior (58,4%), totalizando 292.531 eleitoras, enquanto os homens equivalem a 41,6% do eleitorado.

A faixa etária que predomina fora do País vai de 35 a 39 anos, seguida dos eleitores que têm entre 40 e 44 anos.

Obrigação

Os cidadãos brasileiros residentes no exterior, maiores de dezoito anos, também devem cumprir suas obrigações eleitorais (alistamento e voto), que são facultativas para os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos, os maiores de setenta anos e os analfabetos.

O prazo para fazer a inscrição eleitoral no exterior acontece a qualquer tempo, exceto nos 150 dias que antecedem o 1º turno das eleições, período em que o cadastro está fechado para esta operação, até após as eleições, com data de reabertura a ser definida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Caso haja necessidade de algum tipo de serviço eleitoral durante o fechamento do Cadastro Nacional de Eleitores, por exemplo, para fins de renovação do Passaporte e regularização do CPF, o eleitor, cuja situação eleitoral não esteja regular, poderá obter na Repartição Diplomática ou em qualquer Cartório Eleitoral, uma “Certidão Eleitoral”, que suprirá, temporariamente, a certidão de quitação eleitoral.

Se o eleitor estiver com sua situação devidamente regularizada, poderá, no período de fechamento do cadastro, obter no site do TSE uma “Certidão de Quitação Eleitoral.

Comentários