“Manifesto veementemente meu total repúdio”, afirma o presidente do Senado sobre fala de secretário da Cultura

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, classificou nesta sexta-feira (17) o pronunciamento do secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, como “acintoso, descabido” e de “assombrosa inspiração nazista”.

Alcolumbre, que é judeu, repudiou as declarações do secretário e pediu o imediato afastamento de Alvim do cargo. O presidente Jair Bolsonaro já avisou a Alcolumbre que afastará Alvim.

O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, fez discurso semelhante ao de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler, em discurso sobre artes na noite desta quinta-feira (16).

No discurso, Alvim divulga o Prêmio Nacional das Artes, que promete patrocinar produções inéditas em diferentes áreas da cultura, como óperas, contos, espetáculos teatrais, pintura e escultura. O valor total do prêmio, segundo o governo federal, é de R$ 20,625 milhões.

Alcolumbre disse que é “inadmissíveis termos representantes com esse tipo de pensamento”, e que Alvim se utilize do cargo que ocupa para explicitar simpatia pela ideologia nazista.

“No interior do Amapá, na localidade de Ariri, participando da retomada do programa ‘Luz para Todos’, somente agora tive o desprazer de tomar conhecimento do acintoso, descabido e infeliz pronunciamento de assombrosa inspiração nazista do secretário de Cultura Roberto Alvim, do governo federal”, diz Alcolumbre na nota.

“Como primeiro presidente judeu do Congresso Nacional, manifesto veementemente meu total repúdio a essa atitude e peço seu afastamento imediato do cargo”, completa ele

Comentários