Mapa da Organização Mundial da Saúde mostra América ainda no epicentro da pandemia de coronavírus

Mapa da OMS mostra em cores mais escuras os países com mais casos por milhão de habitantes registrados nos sete dias entre 31 de agosto e 6 de setembro. (Foto: OMS/ Reprodução)

Um novo mapa divulgado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) ilustra a gravidade da pandemia de Covid-19 no continente americano em comparação com outras regiões do mundo. A imagem mostra em cores mais escuras os países com mais casos por milhão de habitantes registrados nos sete dias entre 31 de agosto e 6 de setembro.

Países do continente americano aparecem com o maior acúmulo de casos proporcionais à população, indicando que a região segue como epicentro da doença.

Embora a Índia tenha batido recordes de novos casos diários e recentemente ultrapassado o Brasil no número acumulado, na média que considera a média de casos por milhão de habitantes países como Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México e Peru tiveram situação pior que a indiana nos sete dias em questão.

Embora a região das Américas da OMS e as regiões da Europa tenham populações semelhantes – cerca de 1 bilhão de pessoas vivendo na América em comparação com 900 milhões na Europa – as estatísticas da OMS mostram que as Américas representam 46% de todos os novos casos de coronavírus nos últimos sete dias, e 59% ou mortes recentemente relatadas.

Cumulativamente, as Américas respondem por 55% de todas as mortes pelo novo coronavírus em todo o mundo, com cerca de um sétimo da população global total. A Europa, em contraste, é responsável por 13% de todos os novos casos notificados nos últimos sete dias, 8% das mortes e 25% do total global de mortes cumulativas.

A OMS diz que as Américas relataram quase 3,5 vezes mais casos novos do que relatados pela Europa nos últimos sete dias. Novos casos no continente americano agora respondem por 52% dos casos cumulativos em todo o mundo.

Comentários