Ministério da Justiça arrecada mais de R$ 9 milhões com leilões de bens apreendidos de traficantes

O Ministério da Justiça e da Segurança Pública arrecadou, em pouco menos de um ano, cerca de R$ 9,5 milhões com leilões de bens apreendidos de traficantes. Foram realizados 26 leilões em nove Estados brasileiros. O dinheiro é utilizado no combate ao tráfico de drogas.

Os principais itens leiloados foram carros, motos, caminhões e embarcações. Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul arrecadaram, juntos, R$ 4,6 milhões. Já Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, R$ 3,6 milhões. Mato Grosso arrecadou, em dois leilões, R$ 1 milhão, enquanto Tocantins alcançou o montante de R$ 115 mil.

Segundo a pasta, verbas de leilões já foram usadas em muitos incrementos na segurança pública. No início deste ano, R$ 13 milhões foram usados para a compra de equipamentos de radiocomunicação, utilizados em torres na fronteira entre Brasil e Paraguai por agentes de segurança que atuam no Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas – o Vigia. Esses agentes trabalham para impedir a entrada de armas, munições, drogas e cigarros contrabandeados no Brasil.

Verbas oriundas de leilões também possibilitaram a construção do Centro de Desenvolvimento de Cães Farejadores, em Brasília. A obra está prevista para ser entregue ainda neste ano. O centro será instalado no complexo da Polícia Rodoviária Federal e vai auxiliar na capacitação de agentes que estão à frente de operações com cães em todo o País.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, os leilões têm ocorrido pela internet. Qualquer cidadão pode participar, e os lances iniciais correspondem à metade do preço de mercado. O comprador estará isento de possíveis cobranças retroativas dos itens. A agenda dos leilões pode ser conferida no site do Ministério da Justiça.

Comentários