Ministério da Saúde antecipa vacinação contra a gripe devido ao coronavírus


O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis.
Foto: (Foto: Reprodução/Twitter)

O Ministério da Saúde decidiu antecipar a campanha de vacinação contra gripe para 23 de março por causa do coronavírus. Na última quarta-feira (26) o Brasil teve o primeiro caso confirmado da doença. O paciente é um empresário de 61 anos, que esteve na Itália entre os dias 9 de 21 passados. A data inicial da campanha estava prevista para o fim de abril.

A decisão foi anunciada pelo ministério na tarde desta quinta-feira (27) pelo ministro Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), naquele Estado.

“Antecipamos a campanha, pois esta vacina [que é contra a gripe] dá cobertura e deixa o sistema imunológico 80% protegido contra cepas de vírus influenza, milhares de vezes mais comuns que o coronavírus”, disse Mandetta.

O ministro também disse que se torna mais fácil para os profissionais de saúde diagnosticarem o tipo de vírus que um paciente eventualmente possa ter contraído. Isso considerando entre um e dois meses após a pessoa ser vacinada, por isso também a antecipação. “Se a pessoa avisa que foi vacina [contra a gripe], auxilia no raciocínio profissional, para [o médico] pensar em outros vírus.”

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou que no mundo, são 81.109 casos (78.191 na China) e 2.762 mortes (2.718 na China).

A situação epidemiológica do coronavírus no Brasil, nesta quarta-feira (27), é de 132 casos suspeitos, um único caso confirmado, 60 descartados e 213 notificações que o ministério avalia se enquadram-se no critério de caso suspeito.

“O número cresceu muito nessas 48h. Evidentemente que isso se deve às mudanças de critérios de casos suspeitos, à inclusão de novos países, ao fluxo migratório significativo desses países da Europa, principalmente Itália, Alemanha e França”, disse Gabbardo.

O Ministério da Saúde decidiu antecipar a campanha de vacinação contra gripe para 23 de março por causa do coronavírus. Na última quarta-feira (26) o Brasil teve o primeiro caso confirmado da doença. O paciente é um empresário de 61 anos, que esteve na Itália entre os dias 9 de 21 passados. A data inicial da campanha estava prevista para o fim de abril.

A decisão foi anunciada pelo ministério na tarde desta quinta-feira (27) pelo ministro Luiz Henrique Mandetta, durante coletiva de imprensa ao lado do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), naquele Estado.

“Antecipamos a campanha, pois esta vacina [que é contra a gripe] dá cobertura e deixa o sistema imunológico 80% protegido contra cepas de vírus influenza, milhares de vezes mais comuns que o coronavírus”, disse Mandetta.

O ministro também disse que se torna mais fácil para os profissionais de saúde diagnosticarem o tipo de vírus que um paciente eventualmente possa ter contraído. Isso considerando entre um e dois meses após a pessoa ser vacinada, por isso também a antecipação. “Se a pessoa avisa que foi vacina [contra a gripe], auxilia no raciocínio profissional, para [o médico] pensar em outros vírus.”

O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou que no mundo, são 81.109 casos (78.191 na China) e 2.762 mortes (2.718 na China).

A situação epidemiológica do coronavírus no Brasil, nesta quarta-feira (27), é de 132 casos suspeitos, um único caso confirmado, 60 descartados e 213 notificações que o ministério avalia se enquadram-se no critério de caso suspeito.

“O número cresceu muito nessas 48h. Evidentemente que isso se deve às mudanças de critérios de casos suspeitos, à inclusão de novos países, ao fluxo migratório significativo desses países da Europa, principalmente Itália, Alemanha e França”, disse Gabbardo.

Comentários