Ministério Público de Santiago doa celulares para estudantes crianças carentes

Celulares apreendidos que serão doados. (Foto: Divulgação/MPRS)

O Ministério Público de Santiago recebeu, no início desta semana, celulares restaurados e preparados pela 11ª Companhia de Comunicações Mecanizada, sediada no município, para que sejam reutilizados por alunos da rede pública de ensino em situação de vulnerabilidade durante a pandemia da Covid-19.

Em agosto, as promotoras de Justiça Marina da Silva Lameira e Silvia Inês Miron Jappe procuraram o Comando da 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada a fim de buscar parceria para replicar o Projeto Alquimia II, criado pelo promotor de Osório, Fernando Andrade Alves. Por meio do projeto, idealizado durante a pandemia do coronavírus, telefones celulares apreendidos não envolvidos em procedimentos criminais são restaurados e preparados para serem doados aos alunos da rede pública de ensino em situação de vulnerabilidade e sem equipamento para acesso às atividades escolares nas plataformas digitais.

Os aparelhos apreendidos no Presídio Estadual de Santiago foram destinados ao MPRS pela Polícia Civil e Justiça local. Dos 93 celulares recebidos, dos mais diversos tipos e modelos, 36 foram recuperados pela equipe chefiada pelo 1º Sargento Alessandro Lima Carvalhal, da 11ª Cia Com Mec.

O projeto Alquimia II possibilita uma aplicação lícita para instrumentos de crimes, além de garantir a destinação adequada ao resíduo tecnológico, evitando o passivo ambiental.

“Compramos carregadores para os celulares e estamos apenas aguardando que cheguem para repassarmos aos alunos”, contam as promotoras.

A entrega dos aparelhos restaurados foi feita pelo comandante da 11ª Cia Com Mec, major Paulo Cordeiro Azeredo, e pelo capitão Clauto Souto da Silva, da Seção de Comunicação Social, para a promotora Silvia Jappe.

Comentários