Monumento Júlio de Castilhos é entregue revitalizado

Estão concluídas as obras de restauração do Monumento a Júlio de Castilhos e a plataforma onde o monumento se localiza. A obra faz parte de um dos investimentos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Cidades Históricas para Porto Alegre, enviados através do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), pois a Praça da Matriz é tombada em nível federal. A obra começou em abril de 2017 e foi finalizada em novembro, dentro do prazo.

Esta fase do trabalho envolveu a restauração apenas no Monumento a Júlio de Castilhos, incluindo dois serviços principais: a restauração do conjunto escultórico em si, feito em bronze e apoiado em uma pirâmide de granito, e a restauração da esplanada em que ele se insere dentro da Praça da Matriz. Esta esplanda é composta de um piso, dois muros laterais e uma escadaria frontal. O investimento total foi de R$1.105.000,00. A obra na esplanada foi um serviço tradicional de restauração, com a substituição de materiais degradados, limpezas, reboco e pintura e  instalações elétricas nas luminárias. Já a  restauração do conjunto escultórico exigiu expertise de técnicos com experiência na área. Os trabalhos foram realizados por uma equipe composta por um artífice francês, Antoine Amarger, uma especialista em granitos, a argentina, Alejandra Rubinich, e coordenados pela engenheira metalúrgica, Virginia Costa. A obra está totalmente concluída.

O Projeto da Praça

A restauração paisagística da Praça da Matriz está em análise na CEF (Caixa Econômica Federal), que é quem vai repassar os recursos PAC-Iphan. Foi solicitado um recurso no R$ 2.720.000,00 para refazer os passeios em pedra portuguesa, colocação de novo mobiliário como bancos e lixeiras, restauração das luminárias históricas, instalação de novas luminárias, iluminação cênica do monumento e paisagismo dos canteiros.

Monumento a Júlio de Castilhos

Localizado na Praça da Matriz, cujo entorno estão o Palácio Piratini, a Assembleia Legislativa, a Catedral Metropolitana, e o Theatro São Pedro, o monumento possui grande proeminência e simbolismo no Estado, homenageando a figura política à qual coube implantar a República no RS, em base à filosofia positivista, com foco na educação pública. Inaugurado em 25 de janeiro de 1913, está posicionado sobre um platô servido por ampla escadaria. De autoria do escultor Décio Villares, o monumento é composto por dez figuras em bronze interligadas e duas em ferro fundido, na forma de um obelisco de aproximadamente 20 metros de altura, de granito rosa, encimado pela figura de Mariane, em alusão à Revolução Francesa. As figuras em bronze foram modeladas e fundidas na França, sendo que uma delas é a primeira estátua equestre do Estado. Encontram-se simbolizados nas figuras do monumento os atributos do homenageado: como coragem, prudência, firmeza, civismo, experiência.

Comentários