Morre a ex-ministra e líder feminista Nilcea Freire

A ex-ministra de Políticas para as Mulheres Nilcea Freire  morreu no sábado (28), aos 66 anos, no Rio de Janeiro. Médica, professora, pesquisadora e ex-reitora da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), ela tinha câncer e recebia assistência médica em casa.

A morte foi confirmada pelo PT fluminense, que lamentou a perda da militante feminista. “Deixa uma lacuna na militância feminista brasileira”, afirmou o partido.

Nilcea foi ministra durante o governo Lula e se tornou líder na área de políticas públicas para mulheres. Ela foi responsável pela realização da primeira Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que teve como um dos resultados o Plano Nacional de Políticas para as Mulheres.

Ex-militante do PCB (Partido Comunista Brasileiro), Nilcea viveu exilada no México de 1975 a 1977. Ao voltar ao Brasil, participou de movimentos pela redemocratização. Ela foi a primeira mulher reitora de uma universidade pública no Estado do Rio de Janeiro.

Lula

O ex-presidente Lula divulgou uma nota lamentando a morte da feminista. “Nilcea Freire foi médica, ministra de Políticas para Mulheres, mas mais do que isso foi uma batalhadora incansável pela vida, pela redução das desigualdades e defesa das mulheres do Brasil. Foi a primeira reitora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, onde foi pioneira na implantação das cotas para alunos vindos das escolas públicas e negros, ampliando o acesso ao ensino superior. Fez a primeira Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres. Foi fundamental para a promulgação da Lei Maria da Penha, tão importante no combate à violência doméstica. A generosidade de Nilcea deixa um legado imenso de aprendizado e conquistas para um Brasil com mais oportunidades para os mais pobres, os negros e as mulheres. Precisamos, cada vez mais, de mais Nilceas. Nesse momento de perda e tristeza, me solidarizo com os familiares, amigos e admiradores dessa grande brasileira”, afirmou o petista.

Comentários