MST entrega alimentos da Reforma Agrária à quilombolas de Porto Alegre

O mês de abril sempre teve atividade de luta realizada pelo MST (Movimento do Trabalhadores Rurais Sem Terra). Neste ano, para marcar o Abril Vermelho, assentados lembram os 24 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, e realizam diversas ações de solidariedade em todo o País.

“Relembramos o legado dos mártires, e as suas contribuições na luta pela Reforma Agrária. E assim nós continuamos com a nossa missão histórica enquanto camponeses e camponesas, que é produzir alimentos saudáveis para o campo e a cidade. Nós somos um movimento que luta pela vida”, destaca Geronimo Pereira da Silva, da direção estadual do MST do Rio Grande do Sul.

No RS, os Sem Terra também praticaram atos solidários. No sábado (18), foram doadas cestas básicas à famílias quilombolas que vivem no Quilombo dos Alpes, na zona Sul de Porto Alegre. Entre os produtos entregues estavam o arroz orgânico, feijão, farinha, massa, azeite, ovos, frutas, verduras, detergente e água sanitária.

Cerca de 130 famílias quilombolas vivem na área dos Alpes, e a doação de alimentos ajuda as pessoas a não passarem fome no período de isolamento social com a pandemia de coronavírus.

Os alimentos doados são produzidos em assentamentos da região Metropolitana da capital gaúcha, e desde o início do período de isolamento o MST já doou 12 toneladas de arroz orgânico e diversos outros produtos para compor cestas básicas.

“É importante ajudar naquilo que a gente pode. Temos que ser solidários com as pessoas mais necessitadas”, aponta Cladir Antônio Hachmamn, assentado de Nova Santa Rita e um dos feirantes que colaborou com produtos para essa ação.

A assentada Joselaine Cibulski, de Eldorado do Sul, conta que faz parte da Feira Menino Deus há 25 anos, e que fica muito feliz em poder ajudar famílias com os seus alimentos agroecológicos. “Estamos doando produtos sem veneno, limpo, comida de verdade, para as pessoas que estão precisando nesse momento difícil”, pontua a feirante.

Essa ação contou com a participação do deputado Edegar Pretto (PT) e parceria do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável e do Comitê Gaúcho de Emergência no Combate à Fome, os quais já entregaram quase 40 toneladas de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade social em Porto Alegre, Viamão e Canoas.

Além das ações de arrecadação e entrega de alimentos, o deputado Edegar Pretto formalizou pedido para que o Governo do Estado faça compras institucionais de produtos estocados da agricultura familiar e de assentamentos, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos. A proposta é que os produtos adquiridos façam parte das cestas básicas que estão sendo entregues pelos órgãos do governo às famílias que estão passando fome.

Comentários