Mulheres vítimas de violência doméstica podem fazer denúncias em farmácias

Legenda da imagem: Ao chegar na farmácia, a vítima deve pedir uma “máscara roxa”. (Foto: Divulgação)

O enfrentamento à violência contra as mulheres no Rio Grande do Sul é a prioridade da Campanha Máscara Roxa, lançada na manhã desta quarta-feira (10). Com a iniciativa, mulheres vítimas de violência doméstica podem denunciar casos de agressões nas farmácias que tiverem o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, durante o período de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus.

Ao chegar na farmácia, a vítima deve pedir uma “máscara roxa”, que é a senha para que o atendente saiba que se trata de uma solicitação de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e coletará alguns dados da vítima. Depois, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que a corporação tome as medidas necessárias.

Os atendentes estão recebendo capacitação on-line para o procedimento e para garantir a segurança das vítimas. A campanha é uma iniciativa do Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres, e se concretiza a partir de um termo de cooperação assinado em conjunto com órgãos ligados aos poderes Executivo e Judiciário e entidades ligadas à pauta das mulheres.

“É uma ação para salvar vidas. Os casos de violência contra as mulheres aumentaram no período da quarentena, mas há subnotificação, visto que as mulheres não conseguem sair para ir à delegacia. Até mesmo fazer uma chamada para o 180 passa a ser arriscado pela proximidade constante com o agressor”, explicou o deputado estadual Edegar Pretto, que é coordenador do Comitê Gaúcho ElesPorElas.

Para a chefe da Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, “o isolamento social tem sido mais um desafio no combate à violência contra a mulher. Por isso, novas ferramentas foram lançadas pela Polícia Civil como a ampliação da Delegacia Online para registros de fatos de violência doméstica e a criação de um número de WhatsApp para denúncias – (51) 98444-0606. O serviço digital de denúncias fará parte da campanha, engajando a sociedade no enfrentamento à violência contra as mulheres”.

Comentários