Mundo ultrapassa a marca de 1,2 milhão de mortes por coronavírus

Marca é atingida em meio a novos lockdowns para frear disparada de casos, principalmente na Europa. América Latina e Caribe é a região com mais vítimas. (Foto: EBC)

O mundo ultrapassou nesta segunda-feira (02) a marca de 1,2 milhão de mortes causadas pelo novo coronavírus e tem mais de 46,5 milhões de casos confirmados, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

América Latina e Caribe é a região mais afetada (com mais de 402 mil mortes), de acordo com a agência de notícias France Presse. Na sequência vêm Europa (280 mil), Estados Unidos e Canadá (241 mil) e Ásia (171 mil).

A marca é atingida em meio a novos lockdowns em vários países, sobretudo na Europa, para frear o crescimento de casos. O Reino Unido anunciou no sábado (31) novas medidas de restrição até dezembro, três dias após a Alemanha e a França.

Foram mais de 100 mil mortes desde 16 de outubro e mais de 6,5 mil óbitos por dia na última semana, segundo a France Presse. A Europa concentra cerca de 40% dos óbitos e é a região onde a pandemia tem avançado com mais força.

Entre os países, os EUA são responsáveis por um quinto das vítimas (230 mil) e dos infectados (9,2 milhões) em todo o mundo.

Os países com mais mortes são:

EUA: 230 mil
Brasil: 160 mil
Índia: 122 mil
México: 91,8 mil
Reino Unido: 46,8 mil

Os países com mais casos confirmados são:

EUA: 9,2 milhões
Índia: 82, milhões
Brasil: 5,5 milhões
Rússia: 1,6 milhão
França: 1,4 milhão.

Comentários