Nelson Marchezan anuncia corte de 14 secretarias em Porto Alegre

Prefeito eleito de Porto Alegre anuncia redução de secretarias  (foto: Twitter/Reprodução)

O prefeito eleito de Porto Alegre (RS), Nelson Marchezan Jr. (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (9) o plano de mudanças na estrutura administrativa da cidade, que inclui a redução de 14 secretarias. De acordo com o tucano, a medida não se resume à extinção das pastas, mas sim contempla uma reorganização com o objetivo de solucionar problemas de forma mais eficiente. As informações são do jornal Valor Econômico.

A proposta, que ainda precisa ser aprovada pelos vereadores, fará com que autarquias e empresas públicas sejam administradas por secretarias, enxugando a estrutura. Apesar da mudança, será mantido o número de quatro autarquias, três empresas públicas e uma fundação.

Com as mudanças, o total de órgãos municipais será reduzido de 37 para 23. O tucano afirma que o Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE), o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) e o Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) terão as atividades operacionais repassadas para a Secretaria de Serviços Urbanos, mas as ações estruturais ficarão com a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana.

Marchezan afirmou ainda que até a próxima segunda (12) outras mudanças podem ser realizadas, e que deve anunciar nesta data os nomes que devem assumir as pastas. Ele garantiu que “não existe número cabalístico” para redução de cargos comissionados, apesar de estimar que deve ocorrer diminuição.

Ficha Limpa
O tucano adiantou ainda que as nomeações serão realizadas apenas para pessoas que comprovem ter ficha limpa, alinhamento com as propostas de governo, capacidade de gestão e liderança de equipes, além do cumprimento de metas.

Em relação ao projeto de parcelamento do 13° salário dos servidores municipais apresentado pelo atual prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), ele afirmou que vai orientar a base aliada a rejeitar a proposta.

Segundo Marchezan, os projetos apresentados foram formulados após uma série de encontros com lideranças tucanas, como o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ministro José Serra (Relações Exteriores), e o prefeito eleito de São Paulo, João Doria, além do Movimento Brasil Competitivo (MBC).

Veja como deve ficar a prefeitura com a nova organização:

Da administração direta
Secretaria Municipal de Educação;
Secretaria Municipal de Saúde;
Secretaria Municipal de Segurança;
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Fasc e Demhab);
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico;
Secretaria Municipal da Sustentabilidade;
Secretaria Municipal de Cultura;
Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (DMLU, DMAE e DEP);
Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (EPTC, DMAE, DEP e Carris);

Da administração transversal
Secretaria Municipal do Planejamento e Gestão (Previmpa e Procempa);
Secretaria Municipal da Fazenda;
Secretaria Municipal de Parcerias Estratégicas;
Secretaria Municipal de Transparência e Controladoria Geral;
Procuradoria Geral;
Secretaria Municipal de Relações Institucionais.

Comentários

Comentários

815 Comentários