Nova vacina eficaz contra o coronavírus aumenta esperanças de vencer a pandemia

A OMS (Organização Mundial da Saúde) comemorou estas notícias “animadoras”, mas advertiu que faltam meses para uma disponibilidade generalizada. (Foto: Reprodução)

As esperanças mundiais de vencer a pandemia de Covid-19 aumentaram nesta segunda-feira (16) depois que uma nova vacina experimental demonstrou uma eficácia de quase 95%, em meio a uma crescente onda de contágios e restrições para conter a propagação do vírus.

A empresa de biotecnologia americana Moderna anunciou que sua candidata a vacina, ainda em testes, demonstrou ser 94,5% eficaz para evitar o contágio pelo novo coronavírus, fazendo subir as bolsas mundiais já impulsionadas por resultados preliminares promissores da semana passada.

A gigante farmacêutica Pfizer e sua sócia, a alemã BioNTech, informaram em 9 de novembro que sua vacina era 90% eficaz, segundo testes clínicos. Dois dias depois, o centro de pesquisas estatal russo Gamaleya e o fundo soberano de investimentos da Rússia reportaram 92% de eficácia para sua vacina Sputnik V.

A Moderna, cujos resultados surgem de um teste clínico de fase 3 com mais de 30.000 participantes – ainda não avaliado por cientistas independentes –, disse que espera ter 20 milhões de doses prontas antes do fim do ano.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) comemorou estas notícias “animadoras”, mas advertiu que faltam meses para uma disponibilidade generalizada e expressou sua preocupação com o aumento dos casos em muitos países.

“Uma vacina por si só não acabará com a pandemia”, ressaltou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Os países que estão deixando que o vírus se propague sem controle estão brincando com fogo”, acrescentou.

As infecções dispararam no mundo, superando os 54 milhões com mais de 1,3 milhão de mortes desde que o vírus surgiu na China, no fim de 2019.

Comentários