Nove pessoas morreram em acidentes nas estradas federais do Rio Grande do Sul nos primeiros dias da operação de Natal da Polícia Rodoviária Federal

Dentro da Operação Rodovida de Natal, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) intensificou a fiscalização neste início de feriadão, abordando e fiscalizando mais de 14.800 veículos entre a última sexta-feira (21) e a segunda (24).

Em relação aos acidentes, no total, ocorreram 40, com 46 pessoas feridas. Sete pessoas morreram no local dos sinistros, em três ocorrências diferentes. Outras duas pessoas morreram no hospital.

A operação segue com reforço e fiscalização rigorosa até a próxima terça-feira (2).

Fiscalização

Somente nos primeiros quatro dias, em um balanço parcial, a PRF extraiu mais de 7.150 autos de infrações. A infração mais observada, foi o excesso de velocidade: foram 3.218 veículos flagrados acima do limite em todo o Estado.

Foram mais de 3.755 testes de embriaguez. Cento e sessenta e sete condutores foram multados por estarem embriagados ou se negarem a fazer o teste. Duzentos e setenta e três veículos foram recolhidos por irregularidades ou motoristas sem condições de dirigir, além de 154 carteiras de habilitação recolhidas.

Motorista embriagado

No final da manhã desta terça-feira (25), agentes da PRF se depararam com uma saída de pista na BR-290 em Porto Alegre. Ao se aproximarem do veículo, um Peugeot 207, identificaram um homem se afastando a pé pela rodovia. Ele alegou aos agentes que era passageiro de outro veículo mais à frente, fato que se mostrou falso dada a incongruência da história contada e o nítido estado de embriaguez do homem. Após isso, ele fugiu correndo dos agentes entre os veículos por mais de 1 quilômetro, causando um grave risco de acidente.

O preso foi encaminhado à perícia onde foi constatado o estado de embriaguez.

O condutor, um homem de 28 anos, foi preso em flagrante e responderá pelos crimes de embriaguez e resistência. Além da multa de 2.934 reais, será aberto processo para suspensão de sua CNH e somente sairá em liberdade após pagamento de fiança.

 

Comentários