Número de pedidos de refúgio no Brasil cai 76% neste ano

O maior número de solicitações de refúgio é de venezuelanos. (Foto: Camila Diger/Agência Belém)

O número de pedidos de refúgio no Brasil despencou com a pandemia de coronavírus, de acordo com dados do Conare (Comitê Nacional para os Refugiados).

Entre março — mês em que a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou a pandemia e o governo brasileiro fechou fronteiras terrestres – e novembro, foram feitos 14.265 pedidos de refúgio ao Brasil. Isso representa uma queda de 76,3% em relação às 60.343 solicitações registradas no Conare no mesmo período de 2019.

Além disso, o total de pedidos de reconhecimento da condição de refugiado nesse período é o menor desde 2016, quando o comitê registrou somente 6.908 requerimentos.

O impacto da pandemia no fluxo migratório é visível porque entre janeiro e fevereiro – meses anteriores à crise generalizada da Covid-19 – o Conare registrou 12.409 solicitações. É mais do que o total de pedidos feitos no primeiro bimestre de 2018 (8.292) e pouco menor do que os 15.419 registrados nos dois primeiros meses de 2019 (15.419).

No início do ano passado, a Venezuela vivia o auge da crise humanitária que gerou um alto fluxo de imigrantes e solicitantes de refúgio na fronteira com Roraima.

Os venezuelanos, inclusive, continuam representando o maior número de solicitantes no Brasil. Considerando janeiro a novembro de 2020, cidadãos da Venezuela responderam por 15.538 pedidos. Isso representa 58,25% dos 26.674 pedidos de refúgio feitos ao Conare em todo este ano.

Comentários