O aeroporto Salgado Filho pode ficar sem combustível devido à greve dos caminhoneiros

Devido aos protestos de caminhoneiros que se espalharam por todo o País, o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, poderá ficar sem combustível nesta quinta-feira (24), informou em nota divulgada nesta quarta-feira (23) a Fraport Brasil, empresa que administra o terminal.

A empresa declarou que não tem previsão sobre o impacto nos voos e pediu aos passageiros que se mantenham informados com as companhias aéreas para confirmar as viagens.

“A Fraport Brasil – Porto Alegre informa que, devido à greve dos caminhoneiros no Brasil, os fornecedores de combustível previstos não conseguiram chegar ao Porto Alegre Airport na data de hoje (23/05). Sendo assim, estamos operando em nossos níveis de reserva e é possível que, a partir de amanhã (24/05), haja impactos em nossa operação. Solicitamos gentilmente que os passageiros entrem em contato com a companhia aérea com antecedência para confirmar o seu voo”, informou a companhia no comunicado.

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) também emitiu um comunicado nesta quarta-feira. “Considerando contratempos na malha aérea decorrentes da falta de abastecimento de querosene de aviação, em razão da paralisação nacional de caminhoneiros iniciada em 21/05, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) recomenda aos passageiros, com voos marcados para os próximos dias, que consultem as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos até que a situação se normalize.”

Transporte coletivo

O transporte coletivo de Porto Alegre terá um atendimento emergencial nesta quinta-feira, em razão da falta de combustível pela greve dos caminhoneiros. Em reunião na tarde desta quarta-feira, com a direção da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), onde participaram representantes da Carris, ATP (Associação dos Transportadores de Passageiros) e Consórcios de ônibus, ficou definida uma operação normal nos picos da manhã até 8h30min, e também à tarde, das 17h às 19h30min.

Nos demais horários, as viagens serão de hora em hora. A forma de atendimento durante a noite será divulgada na tarde desta quinta-feira. A decisão acontece para possibilitar a prestação do serviço por um maior número de dias possíveis nos horários de demanda mais intensa da população. As lotações funcionarão normalmente.

Desabastecimento

A Ceasa-RS (Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul) também informou está sendo afetada em sua comercialização em virtude do movimento grevista dos caminhoneiros.

“O desabastecimento no setor atacadista chegou a níveis alarmantes nesta quarta-feira (23/05). O setor dos produtores deverá sofrer amanhã, dia de grande movimento, um desabastecimento significativo, podendo deixar Porto Alegre e a região metropolitana sem produtos”, declarou a Ceasa-RS, em nota.

Bloqueios

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que foram feitos bloqueios nesta quarta-feira no tráfego de veículos de carga em rodovias de pelo menos 18 municípios gaúchos. Segundo a PRF, nenhum dos bloqueios é total.

Nota oficial

O governo gaúcho divulgou uma nota oficial nesta quarta-feira. Leia abaixo a íntegra do comunicado:

“Diante das manifestações de protestos dos caminhoneiros em todo o país, o governo do Estado ressalta a necessidade de diálogo para superar o impasse que se reflete no abastecimento de produtos e na livre circulação em algumas rodovias.

O governo reconhece as dificuldades enfrentadas pelo setor de transportes, principalmente em razão do aumento de mais de 300%, em menos de dois anos, da cotação do barril de petróleo no mercado internacional. Alerta, no entanto, para o fato de que o movimento está causando prejuízos imediatos a setores como o da produção do leite, de suínos e aves do Rio Grande do Sul. Na medida em que parte da produção de leite começará a ser descartada por falta de transporte e animais poderão morrer em consequência da escassez de ração, o abastecimento da população sofre risco de ser prejudicado.

A preocupação é que essa situação venha a atingir a economia do estado como um todo, causando desabastecimento à população e sérios prejuízos aos setores produtivos.

Para um efetivo acompanhamento em todo o estado, o governo instalou no dia de hoje um comitê formado pelos secretários da Agricultura, Pecuária e Irrigação, do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e da Comunicação.

Por fim, o governo do Estado rechaça quaisquer situações de violência, renovando o apelo para que se busquem as saídas para o impasse com diálogo sereno e responsável.”

Comentários