O governo gaúcho e municípios debaterão a situação da estiagem na Região da Campanha

Secretarias e órgãos do governo do Estado vão mais uma vez ao encontro de prefeitos dos municípios atingidos pela estiagem. A reunião ocorrerá nesta quarta-feira (28), às 14h, na prefeitura de Bagé.

Até o momento, 24 municípios da Metade Sul já decretaram Situação de Emergência. São eles: Cristal, Amaral Ferrador, Hulha Negra, Morro Redondo, São Jerônimo, Cerro Grande do Sul, Canguçu, Arroio do Padre, Pedras Altas, Turuçu, Candiota, Bagé, Cerrito, Piratini, Camaquã, São Lourenço do Sul, Dom Feliciano, Tapes, Chuvisca, Sertão Santana, Herval, Santana da Boa Vista, Pinheiro Machado e Pedro Osório.

Desses, nove tiveram os decretos homologados pelo Estado e reconhecidos pela União. Outros quatro estão homologados e aguardam reconhecimento. Os demais municípios ainda estão sob análise, ou enviando documentação complementar.

Ainda nesta quarta-feira, o governo do Rio Grande do Sul levará a Bagé as estruturas das secretarias de Agricultura, Pecuária e Irrigação; do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo; de Obras, Saneamento e Habitação; do Banrisul; do BRDE e do Badesul.

Na última quinta-feira (22), uma reunião semelhante ocorreu em São Lourenço do Sul. O trabalho é coordenado pela Casa Civil e pela Casa Militar.

“A exemplo do que ocorreu em São Lourenço do Sul, nós levaremos a Bagé a estrutura do governo do Estado. Teremos técnicos da Defesa Civil à disposição dos municípios para orientar sobre a importância da inserção dos dados corretamente no sistema, o que agiliza a homologação e o reconhecimento dos decretos de emergência, colaborando para que o auxílio chegue aos municípios mais rapidamente”, explicou o coronel Alexandre Martins, chefe da Casa Militar e coordenador regional da Defesa Civil.

O governo do Estado colocou à disposição dos municípios maquinários da secretaria de Desenvolvimento Rural e da secretaria de Obras, Saneamento e Habitação. As retroescavadeiras e as escavadeiras hidráulicas serão utilizadas na abertura de poços e açudes em propriedades rurais, para o consumo animal.

Já os caminhões da Corsan serão utilizados na distribuição de água potável às comunidades atingidas.

Estimativa de perdas

Apesar de atingirem diretamente a economia dos municípios e dos agricultores da Metade Sul, as perdas estimadas por conta da estiagem, que atinge as regiões de Bagé, Pelotas e Porto Alegre, não devem impactar significativamente na produção das culturas de verão da safra 2017/2018. De acordo com dados levantados preliminarmente, pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, na primeira quinzena de fevereiro, a estimativa atual da produção total de arroz, feijão, milho e soja, gira em torno de 30,1 milhões de toneladas, ou seja, 0,7% maior que a estimativa do início da safra baseada no cálculo de tendência feito a partir da média histórica dos últimos 10 anos. Em relação à safra anterior (33,6 milhões de toneladas), estima-se, até o momento, uma redução de 10,3% (30,1 milhões de toneladas).

Comentários