O governo quer manter Gilberto Occhi na presidência da Caixa Econômica Federal e o PP procura outro nome para o Ministério da Saúde

O PP segue à procura de um substituto para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, que vai deixar a pasta para se candidatar a novo mandato de deputado federal e já enviou sua carta de demissão ao presidente Michel Temer. “Agradeço pela oportunidade e hoje me despeço do cargo”, disse Barros, em solenidade.

A ideia  era que o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, fosse deslocado para a Saúde, mas o governo brecou a movimentação e pediu ao presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PP-PI), que indique outro nome para a pasta. Com isso, Occhi deve permanecer no comando da Caixa. O presidente Michel Temer considera que ele faz um ótimo trabalho onde está, e que “os números falam por si”.

Ciro Nogueira deve continuar as conversas com Temer até a semana que vem, quando acaba o prazo para que os ministros que serão candidatos deixem os cargos. No Ministério da Educação, hoje ocupado por Mendonça Filho, do DEM, que também será candidato, deve ficar no cargo a secretária-executiva da pasta, Maria Helena Guimarães de Castro.

A sucessão no Turismo, pasta comandada pelo PMDB, divide a bancada da Câmara. Parte do grupo quer que Carlos Henrique Sobral assuma a pasta. Sobral é chefe de gabinete do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, mas enfrenta resistências por ser muito ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso após a Polícia Federal descobrir um bunker com R$ 51 milhões em espécie.

Parte dos parlamentares defende o nome de Teté Bezerra, ex-deputada e mulher do deputado Carlos Bezerra (MT), e há quem trabalhe para que o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, assuma o comando do Turismo. O governo ainda não bateu o martelo sobre a pasta.

Outro auxiliar que deve abandonar o barco nos próximos dias é o ministro dos Transportes, Maurício Quintella (PR). Em um primeiro momento, a tendência é de que as pastas sejam comandadas pelos interinos.  Nos Transportes, ainda não há uma definição. O secretário-executivo da pasta, Fernando Fortes Melro Filho, assumiu na última sexta-feira a Secretaria de Infraestrutura do governo de Alagoas.

Informação não oficial sobre troca

De acordo com alguns interlocutores do governo, que não revelaram seus nomes, no final da tarde dessa quarta-feira, o presidente Michel Temer  mudou de ideia e vai colocar Occhi na Saúde.

Segundo informações preliminares, na conversa, Temer chegou a argumentar que seria mais tranquilo manter Occhi na Caixa, pois qualquer mudança no comando do banco tem de passar por novos critérios técnicos. Mas Ciro Nogueira defendeu ser fundamental deslocar Occhi para o ministério, considerado um técnico já acostumado a trabalhar com a legenda há um bom tempo. Occhi está na presidência do banco desde 1º de junho de 2016, a convite de Temer.

Comentários