O Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre criou uma enfermaria reservada a pacientes que estão sob custódia policial

O HPS (Hospital de Pronto Socorro) de Porto Alegre possui agora uma ala reservada a pacientes sob custódia policial. São três leitos em local reservado, próprio para esse tipo de internação. A entrega simbólica, seguida de visita à enfermaria de custodiados, ocorreu nesta segunda-feira (2), na sala da direção do HPS, com a presença do secretário municipal de Saúde, Erno Harzheim, e do diretor do hospital, Amarílio Vieira de Macedo Neto.

Até então, tais atendimentos eram realizados junto aos demais, necessitando de uma pessoa para custodiar cada indivíduo. Agora, a nova estrutura garante mais segurança aos pacientes internados e aos servidores, além de facilitar o atendimento.

A diretora-técnica do hospital, Roberta Rigo Dalcin, destaca que o ambiente tem acesso único e porta especial, reduzindo a circulação de pessoas armadas nos corredores de atendimento ao público em geral. O investimento do hospital foi de R$ 12 mil.

“É muito bom poder entregar este espaço, necessário no caso de um hospital do porte do HPS”, avaliou Macedo Neto. Para o secretário, um dos méritos é facilitar a organização da equipe, sabendo que há um lugar específico para esse atendimento.

O encontro contou com a participação do vereador Paulo Brum, da diretora de enfermagem do HPS, Miriam Dani, do diretor do Departamento de Segurança e Execução Penal da Superintendência dos Serviços Penitenciários, Fabrício Ragagnin, demais funcionários e representantes da instituição.

Autismo

A prefeitura de Porto Alegre participa, no próximo domingo (8), das atividades do 8º Dia Mundial de Conscientização do Autismo no Parque Farroupilha (Redenção), que terá o lema: “é preciso conhecer, desmistificar, acolher para se conscientizar!”. Professores, funcionários e familiares de alunos das quatro escolas municipais de ensino especial fundamental, Professor Luiz Francisco Lucena Borges, Vila Ipiranga; Professora Lygia Morrone Averbuck, Jardim do Salso; Professor Elyseu Paglioli, Cristal, e Tristão Sucupira Vianna, bairro Restinga, estarão em um espaço junto ao Monumento do Expedicionário, em frente ao Colégio Militar, para mostrar o trabalho desenvolvido, conversar com a comunidade e trocar informações.

A partir das 11h, todos se agregarão à caminhada organizada pela Associação Autismo e Vida. A única orientação é vestir uma camiseta azul, a cor do movimento. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte também participa do evento, representada pela diretoria de Acessibilidade e Inclusão Social.

A rede municipal de ensino atende 330 alunos com diagnóstico do autismo, dos quais, 196 no Ensino Fundamental, um no Ensino Médio, 28 na Educação Infantil (escola regular) e outros 105 em escolas especiais. Os estudantes do ensino regular recebem apoio pedagógico de professores com especialização em Educação Especial por meio das Salas de Integração e Recurso, espaço exclusivo para acolhimento do aluno de inclusão presente em todas as 56 Escolas Municipais de Ensino Fundamental.

Comentários