Operação policial é deflagrada em sete cidades do Estado contra facção que comprava dívidas para ameaçar as vítimas

Foram cumpridos 31 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisões. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta quarta-feira (24), a Operação Outback, que visa desarticular uma facção criminosa que comprava dívidas para ameaçar e extorquir vítimas na Região Metropolitana.

Na operação, 200 policiais cumprem 39 ordens judiciais, 31 mandados de busca e apreensão e oito de prisão em sete municípios: Canoas, Esteio, São Leopoldo, Gravataí, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo e Santa Cruz do Sul. Até o momento foram presos seis criminosos e apreendida uma quantia milionária em reais, dólares, ouro e esmeraldas.

As investigações iniciaram em setembro de 2020 quando ocorreram denúncias sobre a prática do crime de extorsão mediante grave ameaça às vítimas e seus familiares cobrando dívidas com valores altíssimos.

O material nas denúncias apontava que através de mensagens de texto e áudio e chamadas telefônicas efetuadas pelo aplicativo Whatsapp uma facção com berço no Vale dos Sinos exigiu valores altíssimos de certas pessoas sobre o pretexto de terem comprados dívidas e utilizando-se do nome da facção e dos líderes dela, inclusive em um caso de exigência do pagamento de mais de R$ 100 mil. Além de outras situações.

De acordo com o diretor da 2ª Delegacia Regional Metropolitana, delegado Mario Souza, os integrantes da facção compravam dívidas de credores que não estavam conseguindo cobrar, e passavam a fazer a cobrança com valores altíssimos, ameaçando as vítimas.

“Eles causavam uma situação de terror às vítimas enviando mensagens ameaçando familiares para que as dívidas fossem pagas em um prazo de 24 horas”, revelou o delegado, lembrando que o esquema foi feito para extorquir as vítimas e captar mais dinheiro de forma ilegal.

Comentários