Organização Mundial da Saúde pede ações contra a crescente “fadiga” da pandemia do coronavírus na Europa

Para combater o “cansaço”, as autoridades têm que ouvir a população e criar em parceria as respostas para seguir lutando contra a pandemia. (Foto: Reprodução)

A OMS (Organização Mundial da Saúde) pediu nesta terça-feira (06) aos governos da Europa que lutem contra a “fadiga” cada vez maior da população a respeito da pandemia de Covid-19 e as restrições impostas.

“Com base em dados de pesquisa agregados de países da região, podemos observar, sem surpresa, que a fadiga entre os entrevistados está aumentando. Embora a fadiga seja medida de maneiras diferentes e os níveis variem por país, consideramos que atualmente supera 60% em alguns casos”, afirmou em um comunicado o diretor da OMS na Europa, Hans Kluge.

Os cidadãos fizeram “imensos sacrifícios” nos últimos oito meses, quando foram constatados os primeiros casos da doença, acrescentou. “O custo foi extraordinário e deixou todos esgotados, independente de onde vivemos ou do que fazemos. Em tais circunstâncias é fácil e natural sentir-se apático e desmotivado”.

Para combater o “cansaço”, as autoridades têm que ouvir a população e criar em parceria as respostas para seguir lutando contra a pandemia, que registra níveis de propagação elevados na Europa. “Temos que responder a nossas necessidades de maneiras novas, inovadoras. Temos que ser criativos e corajosos para conseguir”, insistiu Kluge.

A região Europa da OMS, que inclui 53 países, entre eles a Rússia, registra mais de 6,2 milhões de casos oficiais e quase 241.000 mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com os números da organização.

Comentários