Paulo de Argollo Mendes renuncia ao cargo de presidente do Simers, após 20 anos à frente da entidade

O presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Paulo de Argollo Mendes, renunciou ao cargo que exercia há 20 anos, em carta publicada no site da entidade, no fim de semana. Ele completará 70 anos de idade no início de fevereiro.

No comunicado, Argollo fala em “momento de profunda dor”. O dirigente, que cumpriu seis mandatos à frente da instituição e é, mais uma vez, candidato no pleito interno previsto para o fim do ano, sustenta que passou a ter a honra atacada com “calúnias, gravações montadas e toda sorte de artimanhas sórdidas para tentar provocar a dúvida”.

Frisando ter feito o melhor para o Simers, médicos, pacientes e a luta pela vida, Argollo frisou que a entidade soma hoje 16 mil filiados – oito vezes mais do que à época da fundação. O ex-presidente cita, por exemplo, que em agosto, por meio de ação judicial, o Simers obteve a devolução de R$ 8 milhões a médicos de uma empresa, que não é nominada.

A vice-presidente Maria Rita de Assis Brasil assume o comando da entidade até o fim da gestão. Abaixo, a carta do Dr. Argolo, justificando a sua decisão.

 

 


Comentários