Pfizer adia entrega da vacina contra o coronavírus a oito países europeus

A Europa é a região mais afetada do mundo, com mais de 25,4 milhões de casos e quase 550.000 vítimas fatais. (Foto: Reprodução)

O transporte das vacinas contra a Covid-19 para oito países europeus sofrerá um pequeno atraso por um problema logístico, enquanto nos Estados Unidos o presidente Donald Trump finalmente assinou o plano de alívio econômico que estabelece novas ajudas a empresas e pessoas afetadas pela pandemia.

O atraso no envio das vacinas foi anunciado pelo Ministério espanhol da Saúde e pelo próprio grupo farmacêutico, um dia depois do início da campanha de imunização em vários países da UE (União Europeia), o que gerou esperanças contra uma doença que já infectou mais de 80 milhões de pessoas no planeta e matou mais de de 1,76 milhão.

“Devido a um pequeno problema de logística, modificamos o cronograma de um número limitado de entregas. A questão de logística foi resolvida, e as entregas estão sendo despachadas. Não há problemas de fabricação”, disse o diretor global de comunicações da Pfizer, Andrew Widger.

Um dos países mais afetados da Europa com 50.000 mortos, a Espanha deveria receber nesta segunda-feira 350.000 doses da vacina fabricada pelos laboratórios Pfizer e BioNTech.

“A Pfizer Espanha indica que foi informada por sua fábrica de Puurs [Bélgica] sobre o atraso nos envios para oito países, incluindo a Espanha, devido a um problema no processamento de carga e envio”, afirma o Ministério em um comunicado, que não revela os demais países afetados, o que o laboratório também não fez.

O próximo carregamento de vacinas chegará à Espanha na terça-feira (29), acrescentou o Ministério. A Europa é a região mais afetada do mundo, com mais de 25,4 milhões de casos e quase 550.000 vítimas fatais.

Comentários