Polícia busca ao menos mais dois suspeitos de participarem da morte de médica em Porto Alegre

Policiais 4ª DP (Delegacia de Polícia) da Capital, sob o comando do delegado Herbert Ferreira, estão avançando, nesta sexta-feira (19), nas investigações sobre a morte da médica Graziela Lerias, de 32 anos. Ela foi assassinada a tiros durante o roubo de seu automóvel, Citröen C4 Pallas, no último domingo, na Zona Norte de Porto Alegre. E pelo menos mais duas pessoas, além dos dois suspeitos presos, podem estar envolvidas.

Com a prisão, ontem (18), de Davi Moreira de Oliveira, de 20 anos, o segundo suspeito de participação no crime, mais um homem está sendo investigado. No depoimento à polícia, Davi negou ter participado do assassinato, na noite de domingo (14), no cruzamento das avenidas Sertório e Ceará, no bairro São João, quando Graziela foi alvejada.

Ele contou aos policiais que estava devendo dinheiro para um homem que lhe pediu para colocar fogo no carro da médica em troca de quitar a dívida. Por isso teria se envolvido no caso. O rapaz, que se feriu durante a queima do automóvel, foi internado no Hospital Cristo Redentor, na Zona Norte de Porto Alegre.

Esse homem seria o motorista do caminhão em que Richard Petry (apontado pelos disparos que vitimaram Graziela) estava quando decidiu roubar o automóvel em que estava a médica. Um quarto elemento também estaria na mira dos policiais.

Comentários