Polícia deflagra operação para apurar crimes contra a administração pública em Gravataí

Foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão, além da suspensão do exercício das funções públicas de quatro servidores públicos. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil desencadeou a Operação Chavirer, com o objetivo de apurar crimes contra a Administração Pública e contra a Fé Pública no âmbito do Poder Executivo do município de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Durante as ações, foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão, além da suspensão do exercício das funções públicas de quatro servidores públicos. As ordens judiciais foram cumpridas nas Prefeituras de Gravataí e Glorinha, além de residências e empresas.

A investigação apurou que um servidor público (arquiteto) da prefeitura prestava serviços particulares, inclusive em horários de seu expediente no órgão público, e se locupletava ilicitamente.

O servidor investigado contava com o potencial auxílio de outros agentes públicos, promovendo indeferimentos de projetos urbanísticos protocolados na prefeitura para, posteriormente e através de contato direto com as vítimas, apresentar melhorias nos projetos indeferidos com a elaboração do chamado E.I.V (“Estudo de Impacto de Vizinhança”), que seria feito pelo próprio suspeito, porém em nome de terceiros, utilizando-se de suas respectivas notas fiscais.

A operação contou com a participação de 80 policiais civis. Mais informações podem ser obtidas com 2ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção, do Departamento Estadual de Investigações Criminais. Foi realizada a prisão do arquiteto.

Comentários