Polícia Federal prende envolvidos na morte de cacique em reserva indígena no RS

A PF (Polícia Federal) realizou, na manhã desta terça-feira (26), uma operação para prender os envolvidos no homicídio do cacique Antônio Mig Claudino, ocorrido em 2017 na Reserva Indígena Serrinha, em Ronda Alta, no Norte do Rio Grande do Sul.

A Operação Mig contou com a participação de 65 policiais federais, que cumpriram nove mandados de prisão e dez de busca e apreensão nos municípios gaúchos de Pelotas, Ronda Alta, Planalto, Constantina e Três Palmeiras e em Chapecó, no Estado de Santa Catarina.

O inquérito policial apurou que o crime foi minuciosamente planejado, tanto para garantir a execução da vítima quanto para prejudicar a investigação. As apurações indicam que dois matadores que atuam no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina foram contratados por pelo menos quatro indígenas da região para realizar a execução, motivada pela disputa pela liderança da reserva, por dinheiro oriundo de arrendamento de terras indígenas e vingança.

O cacique, que tinha 57 anos, foi atingido por cinco tiros quando estava em um bar. Durante os dois anos de investigação, diversas diligências foram realizadas. A ação desta terça contou com o apoio das polícias Militar e Civil do RS e de SC.

Comentários