Polícia Federal realiza operação contra crimes motivados por disputas em terra indígena no Rio Grande do Sul


Cerca de 200 policiais participam da ação na Reserva Indígena do Guarita.
(Foto: PF/Divulgação)

A PF (Polícia Federal) deflagrou, na manhã desta terça-feira (19), a Operação Guarita, que investiga crimes ocorridos em razão de disputas pela liderança de uma terra indígena localizada na Região Noroeste do Rio Grande do Sul.

Cerca de 200 policiais cumprem 38 mandados de busca e apreensão e 14 de prisão preventiva na Reserva Indígena do Guarita, entre os municípios de Redentora e Tenente Portela. A ação conta com o apoio da Polícia Civil e da Brigada Militar.

A PF instaurou inquéritos para apurar o atentado contra o cacique da Guarita, o homicídio de um indígena e a tentativa de homicídio de outros dois índios. Os crimes ocorreram em 19 de outubro e 7 de novembro na região.

Os delitos investigados são homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado, incêndio majorado, dano qualificado e formação de milícia armada.

Comentários