Populações indígenas e quilombolas recebem segunda dose da vacina contra o coronavírus

A prefeitura dá continuidade à vacinação das populações indígenas e quilombolas contra o coronavírus, agora com a aplicação da segunda dose. Na região Restinga, o atendimento foi retomado na quarta-feira (17) na aldeia Mbya Garani Anhetengua. Nesta sexta-feira (19) foi a vez da região Leste-Nordeste, em núcleos familiares da etnia Kaingang.

Na semana que vem, a imunização será realizada em aldeias e quilombos, a partir de um plano de vacinação que respeite as especificidades desses locais e suas populações. Em função disso, não será permitido acesso da imprensa. De acordo com dados da plataforma vacinômetro, 1.042 indígenas e quilombolas receberam a primeira dose da vacina até o momento. Já a segunda dose foi aplicada em 64 pessoas.

O trabalho é realizado pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) que atuam nas oito gerências distritais da Capital (Centro, Norte/Eixo Baltazar, Leste/Nordeste, Sul/ Centro-Sul, Glória/Cruzeiro/Cristal, Restinga/Extremo-Sul, Partenon/Lomba do Pinheiro e Noroeste/Humaitá/Navegantes Ilhas).

Porto Alegre recebeu quatro remessas de vacinas até o momento. Na primeira, foram 51.600 doses da CoronaVac (Laboratório Sinovac/Instituto Butantan); na segunda, 32 mil doses da AstraZeneca/Oxford (Oxford/AstraZeneca em parceria com a Fiocruz); na terceira, outras 9.220 doses da CoronaVac; e na quarta, mais 35.230 vacinas CoronaVac do Ministério da Saúde, repassadas pela Secretaria Estadual da Saúde. Todas essas garantem a primeira dose para mais de 128 mil pessoas.

 

Comentários