Por falta de quórum, Câmara de Vereadores de Porto Alegre adia votação de projetos da prefeitura para o transporte coletivo

Rodoviários protestam contra os projetos da prefeitura
Foto: Leonardo Contursi/CMPA

Novamente não houve quórum mínimo, na manhã desta sexta-feira (31), para a sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Porto Alegre que discutiria e votaria o pacote de projetos do Executivo que trata do transporte coletivo na Capital.

Após a segunda chamada para a ordem do dia, o painel do Plenário Otávio Rocha registrou a presença de 17 vereadores, quórum insuficiente para a abertura da sessão. Em reunião da Mesa Diretora, presidida pelo vereador Reginaldo Pujol (DEM), ficou decidido que não haveria nova tentativa de abertura de sessão extraordinária nesta sexta, último dia do recesso parlamentar.

“Decidimos encerrar em respeito às pessoas envolvidas, já que formalmente o quórum foi insuficiente. Como a primeira sessão de 2020 se inicia na próxima segunda-feira, os vereadores terão mais tempo para apreciar os projetos”, disse Pujol.

Os parlamentares estavam convocados extraordinariamente para duas sessões – na quinta (30) e nesta sexta – a fim de debater o polêmico pacote de projetos da prefeitura.

Entre as propostas, está a que prevê a retirada gradual de cobradores dos ônibus e a taxação do serviço de transporte por aplicativo. Os projetos são alvo de protestos das categorias.

Comentários