Prefeito de Palmares do Sul é cassado pela segunda vez e município abrirá novas eleições

É a segunda vez que a cidade passa pela situação. (Foto: Reprodução internet/ Facebook)

O prefeito Paulo Henrique Mendes Lang (PT) teve o mandato cassado, na sessão desta terça-feira (19) por unanimidade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acusado de abuso do poder político e de autoridade no período eleitoral de 2016. O vice, Claudio Luiz Moraes Braga (PROS), também foi acusado e condenado, deixando, assim, a cidade sem líder político. Dessa forma, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) realizará uma nova eleição no município.

A cidade, de pouco mais de 11 mil habitantes, tem apenas 37 anos de idade e já passou por essa situação duas vezes. Em 2010, o antigo prefeito Ernesto Ortiz (PPS), também teve seu diploma cassado pela Câmara Municipal de Vereadores e pelo TSE. Seis anos depois, em dezembro de 2016, Paulo Lang teve o mandato cassado após o Ministério Público Eleitoral ajuizar uma ação de investigação judicial eleitoral alegando conduta duvidosa contra ele, seu candidato a vice, toda a coligação e os partidos de ambos (PT e PROS). Na época, Lang recorreu ao TSE e conseguiu uma liminar para continuar no cargo. Após concluir o mandato, foi reeleito.

Em resposta às acusações, Paulo Lang lançou uma nota oficial sobre o ocorrido:

“Acato a decisão, ciente e feliz por ter cumprido meu papel sempre trabalhando pelo bem de toda a sociedade palmarense. Ressalto que o que ocorreu não teve nenhum ato de corrupção minha, nem de nenhum secretário. Temos um grupo que trabalha muito e provou isso durante todo esse tempo.
Agradeço muito a confiança de todos, pois fui eleito pelo povo para dois mandatos e muita coisa foi feita. Vou continuar na vida política de Palmares do Sul; o município não vai parar.
Estamos unidos e teremos um representante no próximo processo eleitoral com o objetivo de dar continuidade ao processo de desenvolvimento e mudança que nós implementamos no município. Vamos seguir firmes e fortes”.

Comentários