Prefeito Marchezan reúne-se com lojistas e lideranças empresariais do comércio de Porto Alegre

Legenda da imagem: Prefeito anunciou que prepara novos decretos e mantém canal aberto com os empresários. (Foto: Cesar Lopes/PMPA)

O prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou, em videoconferência com representantes de lojas, executivos de shopping centers e lideranças empresariais, na noite de quarta-feira (17) que se vê na obrigação de tomar decisões para conter o aumento da velocidade na ocupação de leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) em Porto Alegre.

Marchezan anunciou que prepara novos decretos para as próximas semanas, dentro da estratégia de restrição da circulação de pessoas, e mantém um canal aberto com o comércio para sugestões.

“Fomos obrigados a fechar empresas com faturamento anual acima dos R$ 4,8 milhões. As lojas que se enquadram neste critério geralmente atraem muita gente, o que pode gerar aglomeração, contato e trânsito”, disse o prefeito.

Para Marchezan, “são ambientes com tamanho maior, mais variedade de produtos, mais capacidade e mais empregados, e que, portanto, atraem maior público, pessoas que saem de casa, muitas vezes, utilizando o transporte público”.

Circulação

Marchezan acrescentou que o aumento na velocidade da ocupação dos leitos de UTIs obrigou a busca de ferramentas para conter a circulação de público. “A melhor receita é manter as pessoas em casa e reduzir a atividade urbana, ainda que sejam decisões tristes, difíceis. É isso que o mundo todo está fazendo”, disse.

O prefeito utilizou dados de monitoramento da situação epidemiológica e sanitária na Capital para explicar as medidas de distanciamento social e restrições a atividades econômicas adotadas. No início da noite de quarta-feira, dos 612 leitos de UTI de Porto Alegre, 506 (82,5%) estavam ocupados, sendo 81 deles (13%) por pacientes em tratamento de Covid-19.

Comentários