Presidente da Assembleia Legislativa faz balanço da gestão, com economia de 148 milhões de reais nos cofres da casa

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, deputado Luis Augusto Lara, apresentou na manhã desta quinta-feira (16) o balanço de sua gestão, que encerra no próximo dia 3, à frente do Parlamento gaúcho. “Foi um ano de muito diálogo com muitas decisões, só diálogo sem decisões não adianta” aponta o parlamentar, satisfeito com a economia de 148 milhões de reais nos cofres da Assembleia em 2019, a maior na sua história. “O montante representa investimento similar em estradas pelo governo do RS no último ano”, destaca Lara.

Satisfeito com as ações de 2019, Luis Augusto Lara salienta que “foi um ano de grandes reformas e com votações pacíficas que mexeram estruturalmente na vida das pessoas e com repercussões para os próximos 20, 30 anos”. Ele cita o exemplo da privatização das estatais, que vai influir no custo do gás e da energia elétrica, bem como o código ambiental que deverá acelerar investimentos no Estado e projetos em prol da segurança pública, entre tantos outros. O corte nos orçamentos foi outro ponto positivo na visão do presidente da Assembleia, com redução de diárias que chegam a 73% em relação à última década, além da votação de matérias relativas aos altos salários do judiciário e Ministério Público, “alguns congelados, outros reduzidos ou até mesmo questionados”. A reformulação do plano de carreira para a base do funcionalismo também entrou na pauta de votação.

As sessões extraordinárias deverão continuar até o dia 31 deste mês. “Resolvemos antecipar a divulgação do balanço para não misturar com as matérias que terão que ser votadas até esta data”. Ainda estão pendentes de votação cerca de sete projetos. São 55 deputados que compõem a bancada da Assembleia, representando 17 partidos. “As bancadas têm os fatos e a consciência do que cada programa significa para sociedade, o que quer dizer que atuamos com menores margens para a injustiça”. Na visão do deputado, a Assembleia fez o dever de casa, “com respeito ao dinheiro público, a partir de um sentimento de pertencimento que havia se perdido no Brasil. O que era público não era de ninguém. A coisa pública é nossa, custa dinheiro para todos nós e em 2019 fizemos mais com menos”.

O próximo presidente da Assembleia Legislativa será o deputado Ernani Polo, que assume no próximo dia 3 de fevereiro. (Clarice Ledur)

Comentários