Presidente da França impõe toque de recolher em cidades que estejam em alerta de coronavírus no país

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou nesta quarta-feira (14) a decisão de impor um toque de recolher para as cidades do país que estão em alerta devido ao aumento no número de novos casos do coronavírus Sars-CoV-2.

“Não perdemos o controle, mas na França a situação é muito preocupante” devido à pandemia, afirmou em transmissão ao vivo na TV, ressaltando que não dá para ficar desamparado ou entrando em pânico.

Macron determinou um toque de recolher na região de Paris e em outras cidades – Grenoble, Lille, Lyon, Montpellier, Saint-Etienne, Aix-em-Provence, Marselha, Rouen e Toulose – das 21h às 6h (horário local), a partir do próximo sábado (17).

A medida será válida por quatro semanas, podendo ser prorrogada até 1º de dezembro, se necessário depois de uma nova análise da situação epidemiológica. A nova regra afetará em cheio os setores de bares, restaurantes e entretenimento em geral.

Segundo o presidente, serão necessárias autorizações especiais para “regressar do trabalho depois das 21 horas ou para trabalhar à noite”, e para em casos de emergência.

Para quem violar a regra, o governo aplicará uma multa de 135 euros, podendo chegar a 1,5 mil euros para casos reincidentes.

Em seu pronunciamento, o líder francês declarou estado de emergência nacional e enfatizou que o Sars-CoV-2 é um vírus “perigoso e sério para todos” e recomeçou a circular rapidamente na Europa e em seu país.

Para ele, o país entrou em uma fase em que é preciso “reagir”. No último período de 24 horas, a França registrou 22.591 novos casos positivos de Covid-19 e 104 mortes, elevando o número total de óbitos para 33.037, segundo dados oficiais.

Comentários