Presidente nacional do PT diz que o Supremo não permitirá violência contra Lula

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, acusou os desembargadores do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), com sede em Porto Alegre, de combinarem votos e de condenarem Lula “sem provas e sem crime”.

Ela disse que o País vive um processo de “ruptura constitucional” e que é preciso haver “enfrentamento”. Questionada se o PT inscreverá Lula como candidato mesmo se ele estiver preso, a senadora declarou: “Em qualquer circunstância Lula é a nossa liderança e o nosso candidato”. Gleisi concedeu uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

“Nós ainda temos recursos judiciais para apresentar tanto ao STJ [Superior Tribunal de Justiça] quanto ao STF [Supremo Tribunal Federal]. Não acredito que a Corte suprema vai deixar acontecer uma barbaridade dessas. Seria uma violência não só contra o Lula, mas contra a democracia e o povo brasileiro, pela representatividade que ele tem no País. Nós entendemos que a sentença do TRF-4 é eminentemente política. Não há provas [contra Lula]. Evidências não podem condenar ninguém. O STF vai recolocar as coisas nos eixos. Nós avaliamos que o tribunal não permitirá essa violência”, declarou a petista.

“Esse processo dá margem a todos os recursos possíveis e imagináveis. Ele tem problemas de conteúdo, de uma condenação sem prova e sem crime, e problemas formais que podem gerar nulidade”, prosseguiu.

Questionada sobre o triplex em Guarujá, no litoral paulista, atribuído a Lula, Gleisi declarou: “Não se concretizou a propriedade do imóvel para Lula, que seria o benefício que ele teria por ter dado benefícios para a construtora na Petrobras. Então como, que prova é essa? O fato só de ele ter ido [no apartamento], de ter tido uma opção de compra?”.

“Primeiro é importante dizer que a candidatura do Lula não se define no âmbito da Justiça criminal e sim da Justiça Eleitoral. E essa discussão se dará a partir de 15 de agosto [data em que os partidos têm que inscrever seus candidatos no TSE]. Até lá vamos trabalhar com o Lula pré-candidato. E já temos uma agenda de caravanas e seminários para debater plano de governo. Lula continuará conversando com o povo brasileiro. Já houve vários casos de candidatos com sentença que continuaram até o final [das campanhas], se elegeram e foram empossados”, disse a presidente do PT.

O TRF-4 aumentou a condenação de Lula para 12 anos e um mês de prisão no caso do triplex. Em primeira instância, o petista havia sido condenado a nove anos e seis meses de reclusão pelo juiz federal Sérgio Moro. “O Lula está condenado injustamente. Não tem assessor do Lula correndo com mala de dinheiro nas ruas [referindo-se ao ex-assessor de Temer Rodrigo Rocha Loures]. O Lula não foi flagrado em gravação pedindo para manter esquema, como o Temer [gravado por Joesley Batista, da JBS]. Querem impedir o Lula e deixar Aécio Neves disputar, Temer disputar”, declarou Gleisi sobre a sentença contra Lula.

 

Comentários