Presos começam a chegar à nova penitenciária de Sapucaia do Sul

Logo após a inauguração, a Pess (Penitenciária Estadual de Sapucaia do Sul), na Região Metropolitana de Porto Alegre, começou a receber presos. Todos cumprirão quarentena obrigatória, devido à pandemia de coronavírus.

“Tudo tem corrido da forma que foi estabelecido pelo nosso plano de ocupação”, afirma Rita Leonardi, técnica superior penitenciária, com formação em psicologia, escolhida para dirigir a nova casa. A Pess foi inaugurada na sexta-feira (28).

No fim de semana foram recebidos os presos já com condenação, oriundos do complexo da Pecan, em Canoas, com perfil para exercer atividade laboral interna (cozinha e limpeza, por exemplo).

Até então, eram conduzidos diariamente para fazerem limpeza, manutenção e prepararem a alimentação dos servidores, entre outras atividades. No fim do expediente, retornavam ao complexo. Alguns deles foram selecionados e aceitaram a transferência definitiva para a Pess, onde seguem a exercer essas atividades. Os presos oriundos das delegacias começaram a chegar nesta segunda-feira (31).

Secretário da Administração Penitenciária, Cesar Faccioli tem mantido contato permanente com a equipe responsável pela administração da nova casa prisional. “Estamos bastante satisfeitos com o andamento do processo de ocupação de Sapucaia. A própria opção por uma técnica com formação e conhecimento sobre tratamento penal indica nossa intenção de já olhar para o futuro, para o pós-pandemia”, explica Faccioli.

Ainda de acordo com o secretário, o plano de migração para a utilização da Pess como presídio convencional contará com parceria de prefeituras e empresas privadas, voltadas ao estímulo ao trabalho prisional. “Mas investindo forte naquilo que chamamos de PPE, a Presença Plena do Estado. Mesmo com foco na ordem e disciplina, a nova casa já nascerá com o compromisso de expandir espaços de trabalho prisional e empregabilidade do egresso”, acrescenta Faccioli.

Realizada pela empresa Verdi Sistemas Construtivos, em troca do terreno do antigo Ginásio da Brigada Militar em Porto Alegre, a Pess foi o terceiro presídio viabilizado pelo Programa de Aproveitamento e Gestão dos Imóveis do Rio Grande do Sul, por meio de permuta, e o segundo entregue no atual governo. Juntamente com o de Bento Gonçalves, já são mais de mil vagas novas.

Em um primeiro momento, devido à necessidade de criação de centrais regionais de triagem e isolamento nos estabelecimentos prisionais da Região Metropolitana, a Pess será utilizada como uma central de triagem, vinculada à área de competência da Vara de Execuções Criminais de Novo Hamburgo e Litoral Norte.

Comentários