Primeiro-ministro do Japão admite, pela primeira vez, adiar a Olimpíada de Tóquio

Após o COI (Comitê Olímpico Internacional) considerar pela primeira vez o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse, também pela primeira vez, que a remarcação da data do megaevento pode ser considerada se a pandemia causada pelo novo coronavírus tornar impossível realizá-lo “em sua forma completa”.

“Se a decisão do COI significa que é impossível manter a Olimpíada em uma forma completa, talvez seja necessário tomar uma decisão para adiá-la”, afirmou Shinzo Abe. As declarações foram dadas ao Parlamento do país na manhã desta segunda-feira (23).

No domingo (22), o COI promoveu uma reunião de emergência e descartou um cancelamento dos Jogos Olímpico. A entidade definiu um prazo de quatro semanas para apreciar um adiamento do evento, marcado inicialmente para ser realizado entre 24 de julho e 9 de agosto.

Nos últimos dias, cresceu o movimento pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A pressão vem de atletas, comitês olímpicos nacionais e federações esportivas mundo afora.

Comentários