Procurador do Trabalho pede anulação de 850 demissões de montadora em Erechim

Trabalhadores foram dispensados no dia 1º deste mês. (Foto: Sindicato dos Metalúrgicos de Erechim/Divulgação)

Uma ação movida pelo procurador do Trabalho, Roger Villarinho, do Ministério Público do Trabalho de Passo Fundo, no Norte do Estado, pede na Justiça a anulação das demissões de 850 metalúrgicos da montadora Comil de Erechim.

O procurador entende que a empresa não respeitou a lei ao não negociar os critérios de demissão com o Sindicato dos Metalúrgicos e pediu a reintegração imediata dos demitidos ao trabalho. A informação é do Sindicato dos Metalúrgicos. O procurador esteve em Erechim para conversar com os trabalhadores e esclarecer dúvidas a respeito de todo o processo. Ele voltou a defender a necessidade de critérios para as demissões.

Recuperação judicial

Nessa terça-feira (13), a fabricante de ônibus anunciou que entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça estadual. A empresa já havia demitido 850 funcionários no começo de setembro e adotou meio turno de produção em Erechim.

Direitos 

O presidente do Sindicato, Fábio Adamczuk, disse que uma decisão favorável desta vez não garante o emprego, mas garante os direitos. “Mesmo que a empresa mantenha a decisão de demitir, poderemos negociar os critérios e as dívidas com os trabalhadores que saem do processo de recuperação judicial”, disse.

Antes de terminar a assembleia os trabalhadores decidiram fazer mobilizações e protestos em frente à fábrica nesta semana.

Empresa

Em nota, a empresa justificou a medida em razão “da grave crise que o Brasil está enfrentando, com grande impacto no mercado de ônibus, que teve uma queda de mais de 60% nos últimos três anos”.

Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.