Procuradoria-Geral vai abrir novo inquérito para investigar Aécio Neves: delação da empreiteira Odebrecht põe o senador sob suspeita de recebimento de verba supostamente desviada

Após a homologação da superdelação da Odebrecht – 77 executivos, ex-executivos e funcionários da empreiteira –, a Procuradoria-Geral da República vai abrir novo inquérito para investigar o senador Aécio Neves (PSDB).

O tucano vai ser investigado por suspeita de recebimento de valores supostamente desviados das obras da Cidade Administrativa na gestão de Aécio no governo de Minas (2003/2010). O empreendimento foi orçado em 500 milhões de reais, mas teria alcançado a cifra aproximada de 2 bilhões de reais.

A Procuradoria-Geral da República vai pedir ao Supremo Tribunal Federal autorização para abrir o inquérito. Na condição de senador, Aécio tem foro privilegiado perante a Corte máxima.

O tucano teria recebido dinheiro de empreiteiras contratadas para a construção da Cidade Administrativa, entre elas a Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, todas citadas no esquema de cartelização e propinas instalado na Petrobras entre 2004 a 2014 e desmascarado pela Operação Lava-Jato.

Comentários