Projeto Vazou busca informações sobre o vazamento de conteúdos íntimos no RS

*Por Bárbara Assmann

Foto: Reprodução

Uma pesquisa universitária feita em Porto Alegre revelou dados sobre a divulgação de conteúdo íntimo no Rio Grande do Sul. O Grupo de Estudos em Criminologias Contemporâneas, sediado na capital gaúcha, lançou recentemente o “Projeto Vazou”. A iniciativa busca colher informações a partir das experiências das vítimas dos vazamentos. Os resultados, ainda parciais, já trazem algumas informações interessantes.

Conforme o levantamento, mais de 70% dos vazamentos ocorrem através do Whatsapp, sendo um aplicativo que possibilita a troca instantânea de vídeos e fotos pela internet.

O “Projeto Vazou” coletou 141 depoimentos anônimos. Os resultados anunciados apontam que 84% dos vazamentos ocorreram quando as vítimas tinham cerca de 19 anos de idade. Além disso, 81% das pessoas disseram que conheciam o responsável por publicar os arquivos, sendo que são os homens que mais disseminam os conteúdos íntimos. O relatório demonstrou que nem sempre as pessoas procuram ajuda policial, pois, para isso, é necessário se identificar e, como consequência, passar por um período de exposição e constrangimento.

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas

Comentários