PT aciona Procuradoria-Geral da República para investigar vídeo pró-ditadura divulgado pelo Planalto

Vídeo foi divulgado por número oficial do Planalto no último domingo, dia em que completou 55 anos do golpe militar de 1964 (Foto: Reprodução/Whatsapp)

As bancadas do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados e no Senado Federal entraram com representações na Procuradoria-Geral da República (PGR), Controladoria Geral da União (CGU) e Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão pedindo a investigação sobre as circunstâncias de produção e publicação do vídeo favorável à ditadura militar de 1964, divulgado pelo Planalto no último domingo (31). No Conselho de Ética da Câmara, o pedido se estendeu ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), pela distribuição do material em suas redes sociais. Além disso, as bancadas fizeram uma representação a PGR para que investigue os fatos e as violações sob a acusação de crime de responsabilidade. Eles pedem também que Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão acompanhe a apuração dos fatos.

Ontem (1), o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que a responsabilidade do vídeo é do presidente Jair Bolsonaro, mesmo o governo não tendo se manifestado sobre quem autorizou a publicação e quem a produziu. “Decisão do presidente. Foi divulgado pelo Planalto, é decisão dele”, afirmou. A peça audiovisual faz apologia ao golpe militar de 1964, responsável por implementar um período ditatorial de 21 anos no Brasil.

Comentários