Queiroz teria demitido ex-mulher de miliciano para proteger Flávio Bolsonaro


O ex-assessor Fabrício Queiroz e Flávio Bolsonaro. (Foto: Reprodução/Facebook)

As investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro mostram que o ex-assessor do deputado Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, demitiu a ex-mulher de um miliciano que trabalhava com o deputado e atuou para evitar que houvesse indícios de vínculo entre o gabinete de Flávio e o criminoso. As informações foram extraídas do celular de Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, ex-mulher de Adriano Magalhães da Nóbrega, conhecido como o “Capitão Adriano”, chefe de um quadrilha de milicianos da zona oeste. Conforme a conversa, Queiroz teria comunicado a exoneração de Danielle no dia que se tornou pública a investigação sobre ele por movimentações milionárias, no final de 2018.

A conversa foi apreendida pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do RJ. A investigação faz parte da Operação Os Intocáveis, que foi deflagrada no dia 22 de janeiro deste ano, com o objetivo de prender milicianos de organização criminosa que atuam nas comunidades de Rio das Pedras, Muzema e outras áreas na zona oeste do Rio.

Comentários