‘Quem vai querer investir num país desse?’, questiona Maia após declarações de Janot


Maia usou tom irônico ao fazer declarações. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

declaração do ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot sobre ter pensado em matar o ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal (STF) e depois se suicidar gerou reações nos parlamentares. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, comentou, em tom irônico: “Hoje descobrimos que o procurador-geral queria matar ministro do Supremo. Quem vai querer investir num país desse?”, questionou em evento no Rio de Janeiro. A plateia do evento reagiu rindo, e então o parlamentar continuou: “Pelo menos a Polícia Federal já deve ter tirado o porte de arma dele para a gente ficar mais tranquilo.”

Maia estava em evento na Fundação Getúlio Vargas (FGV) para debater sobre parcerias público-privadas. Em oportunidade, o presidente da Câmara também teceu comentários irônicos sobre o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por questionar os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe): “O ministro do Meio Ambiente nega os dados do Inpe. O que o investidor acha? Estão defendendo o desmatamento, estão defendendo as queimadas. Não é verdade, mas é a narrativa que eles vendem de forma muito inteligente”, declarou.

Após a palestra, a imprensa pediu para Maia falar mais a fundo sobre as declarações de Janot, mas ele se defendeu dizendo que “não se pode nem mais brincar…”. Sobre a decisão do STF que pode anular as sentenças da Operação Lava Jato, o presidente da Câmara disse que é preciso aguardar o fim do julgamento para analisar o alcance da deliberação.

Comentários